domingo, 22 de março de 2015

Flamengo, o Rei das Maquetes. E os projetos? Saem do papel?

Os grandes projetos envolvendo o Flamengo voltam de tempos em tempos a ocupar a mídia, sempre gerando polêmica, sempre gerando turbilhões políticos, gerando debates acalorados. Muitas idéias e quase nenhuma implementação. E a pergunta que nunca cala: um dia isto sai?

No ano de 1920, a capa de um jornal carioca já trazia a foto da maquete de um suposto estádio que possivelmente poderia vir a ser construído na Praia Vermelha, onde ainda, neste tempo, não existia o Bondinho do Pão de Açúcar. Por aí se vê como o sonho é antigo.

O primeiro grande projeto foi a Construção do Centro de Treinamentos em Vargem Grande. Terreno comprado no meio da década de 1980 pelo ex-presidente George Helal, muitos estudos de viabilidade, muito burburinho político. Passaram-se 30 anos e só agora o CT caminha para sua conclusão.

O Flamengo também sonhava com um estádio, Foi feita uma parceria com a Pelé Sports e Marketing e desenhado um projeto para a construção de um estádio para o clube na Barra da Tijuca, com capacidade para 50 mil pessoas. O projeto não conseguiu avançar nem na primeira questão básica para sua realização: a obtenção de um terreno.

A primeira maquete de um novo Estádio do Flamengo 

Em 1996, na gestão do ex-presidente Kléber Leite, o projeto principal passou a ser a transformação do campo de treinamento, na Gávea, num shopping center, custeado pela Multiplan, aos moldes do que foi feito pelo Botafogo em General Severiano, onde foi construído o Shopping Rio Off Price (que posteriormente mudou mais de uma vez de nome). O projeto previa conclusão antes do ano 2000. 

O projeto do shopping foi vetado, numa luta da Associação de Moradores do Leblon. Trânsito, desalinhamento arquitetônico, poluição da Lagoa Rodrigo de Freitas, foram vários argumentos usados contra a construção. Curiosamente, nenhum deles foi usado para impedir a posterior construção do Shopping Leblon, que fica só a algumas poucas quadras dali.

Maquete de construção do Shopping Flamengo Plaza
No teto do shopping, campo de treinamento com lugar para 3 mil pessoas

No segundo mandato de Kléber Leite, entre 1998 e 1999, o assunto voltou à tona, e desta vez com suporte financeiro do Grupo Brascan. Mais uma vez foi apresentada uma maquete. Mas como o terreno da Gávea foi cedido pelo estado para uso em práticas esportivas, conseguiu-se impedir a construção do shopping.

Segunda Maquete do Shopping do Flamengo

Em dezembro de 2005, durante o mandato de Márcio Braga, o clube voltou a sonhar com um estádio próprio na Gávea. O Maracanã seria fechado para as obras de readequação para os Jogos Pan-Americanos de 2007, e o Flamengo não sabia onde iria jogar. Foi feito um projeto para a construção de um novo estádio, com capacidade para 25 mil pessoas. O projeto não conseguiu força política para ir adiante.

A Maquete de um Estádio para a Gávea em 2005

Em 2007, ainda sob a presidência de Márcio Braga, o Flamengo voltou a projetar o sonho de construção de um estádio próprio. O objetivo era construí-lo na Gávea, com capacidade para 40 mil pessoas. Os projetos foram apresentados, mas mais uma vez não houve força política para levar a idéia a frente.



Maquete de um Novo Estádio na Gávea apresentada em 2007

O sonho persistiu politicamente. Em 2012, no processo de eleição para novo presidente (o pleito vencido por Eduardo Bandeira de Mello), apareceu mais uma maquete de um estádio para o Flamengo. Quem apresentou a idéia foi o candidato Maurício Rodrigues, segundo o qual já estava tudo pronto junto aos apoiadores de sua campanha para a construção de um estádio para 50 mil pessoas em Nova Iguaçu.

Maquete do Estádio em Nova Iguaçu

Em 2017 um novo projeto emergiu, com a possibilidade de construção de um estádio em Pedra de Guaratiba, após o Recreio dos Bandeirantes, quase chegando a Santa Cruz. Quem apresentou o projeto foi o conselheiro Maurício Rodrigues, o mesmo da maquete em Nova Iguaçu. O estádio em Guaratiba teria capacidade para 45 mil torcedores.



Maquete do Estádio em Pedra de Guaratiba

O mais perto de sair do papel no entanto não foi nem um Shopping Center nem um Estádio de Futebol, mas uma Arena Multiuso com capacidade para 4 mil pessoas a ser usada para a prática de basquete e vôlei. A arena seria construída inteiramente com recursos privados e já com "naming rights" (direito de nome): a Arena McFla, a ser financiada pelo McDonald's. O projeto foi apresentado no fim de 2013, com padrões similares aos das arenas de basquete nos Estados Unidos.

O projeto está tramitando no IPHAN (Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Comumente tem sido confundido por mídia e público, ao se dizer "Nova Arena do Flamengo", como se fosse um estádio de futebol, mas não é. É um ginásio a ser construído ao lado da sede, num terreno no qual funcionava um Posto de Gasolina Esso, e que depois passou a ser um estacionamento descoberto do próprio Flamengo, em frente ao Lagoon, shopping construído embaixo do Estádio de Remo da Lagoa.




Maquete da Arena McFla

Em maquetes, o Flamengo é o clube mais moderno do mundo. Difícil é tirar as idéias do papel e transformá-las em realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário