sexta-feira, 22 de abril de 2011

Ser CAMPEÃO SUL-AMERICANO DE BASQUETE não é para qualquer um, não!

pgs 190-191 de A NAÇÃO:

"O velho sonho de sagrar-se campeão nacional estava realizado, mas o Flamengo queria mais. A maior conquista estava reservada para o ano seguinte. Classificado para o quadrangular final da Liga Sul-Americana, a equipe rubro-negra viajou para Santiago Del Estero, na Argentina, para buscar a maior glória da história de seu basquetebol.
Nas doze primeiras edições da Liga Sul-Americana, os argentinos haviam levado o título nove vezes. No Brasil, até aquele momento, só Vasco (1999 e 2000) e Uberlândia (2005) haviam conquistado o troféu. O basquete brasileiro já havia perdido oito finais da liga para os argentinos: o Corinthians foi vice-campeão em 1996 e 1997, o Franca perdeu as finais de 1998 e 2007, o Vasco perdeu a de 2002, o Uberlândia a de 2004, o Ribeirão Preto em 2006 e o próprio Flamengo perdera em 2008.
Desde 1986 um clube brasileiro não retornava de solo argentino com um troféu na bagagem, quando então o time paulista do Monte Líbano havia vencido o Ferro Carril e conquistado o Campeonato Sul-Americano de Clubes Campeões. Neste período, só o Vasco havia sido campeão em cima de times argentinos, tendo vencido o Boca Juniors na final da Liga Sul-Americana de 1999, e o Atenas de Córdoba na final de 2000; mas em ambas as oportunidades a partida final, que definiu o título, ocorreu no Rio de Janeiro. Eram 23 anos sem que um quinteto de basquetebolistas brasileiros (fosse um clube ou a Seleção) voltasse de solo argentino trazendo um troféu. Foi uma brilhante e heroica conquista do basquete rubro-negro.
O campeão sul-americano de 2009, o maior time da história de basquete do Flamengo, jogava com: Hélio, Duda, Marcelinho, Jefferson Willian e Baby, e ainda tinha Fred, Fernando Alvim, Wagner, Coloneze e Alírio".

Nenhum comentário:

Postar um comentário