terça-feira, 24 de julho de 2018

A História: Flamengo vs Vasco



O primeiro encontro entre Flamengo e Vasco na história aconteceu no Campeonato Carioca de 1923, e já marcou o início da forte rivalidade entre os dois clubes. Os comerciantes portugueses do Rio de Janeiro decidiram que a colônia imigrante dos colonizadores do Brasil tinha que ter um time de futebol, visto o forte crescimento que o esporte jogado com os pés vinha tendo na sociedade carioca. Fundaram então o Vasco da Gama, e com pompa de que seria o clube mais rico do Brasil. O futebol ainda era totalmente amador, os jogadores tinham profissões que lhe davam o sustento e se dedicavam ao futebol nos tempos vagos. Os comerciantes portugueses bancaram o sustento de seus jogadores, a ampla maioria desempregados (foi neste contexto, num país que havia muito pouco tempo havia terminado com o trabalho escravo, findado em 1888, e com a segregação racial que existia na sociedade brasileira na época, que o Vasco já emergiu aceitando jogadores de raça negra), para que treinassem em tempo integral. O time do Vasco foi campeão da 2ª Divisão em 1922, e esteve muito perto ser Campeão Carioca Invicto de 1923, em seu primeiro ano na 1ª Divisão. Foi campeão, mas não invicto, porque a turma da Praia do Flamengo estava decidida a impedir isto, colocando até o orgulho nacional nomeio desta história. No turno, em 29 de abril de 1923, no Estádio da Rua Paissandu, campo do Flamengo, o Vasco venceu o primeiro confronto na história entre os dois clubes: 3 x 1. No returno, para o duelo no Estádio das Laranjeiras, campo do Fluminense, e maior estádio da cidade naquele tempo, o Flamengo se preparou fisicamente para enfrentar os bem preparados e atléticos adversários, e tratou de ocupar estrategicamente as arquibancadas numa operação estratégica para pressionar o time cruzmaltino. A operação resultou. Com gols de Candiota, Nonô e Junqueira, o Flamengo venceu por 3 x 2 e impediu que o título vascaíno fosse invicto.

A chegada do Vasco, com forte poder econômico, e os preconceitos raciais da sociedade carioca levaram a uma cisma do futebol da cidade em 1924, tendo havido dois campeonatos. Flamengo e Vasco não se enfrentaram neste ano. Duelaram novamente no Carioca de 1925, com uma vitória rubro-negra por 2 x 0 na Rua Paissandu, e um empate por 1 x 1 nas Laranjeiras. No Carioca de 26, um empate por 2 x 2 na Rua Paissandu, e uma vitória vascaína por 2 x 1 no Estádio da Campos Sales, pertencente ao América. Em 1926, os dois clubes ainda disputaram dois amistosos, com uma vitória rubro-negra por 2 x 1 e um empate por 3 x 3. Em 1927, um amistoso terminou 2 x 1 para o time cruzmaltino (no primeiro jogo entre os rivais no Estádio de São Januário, que passava a ser o maior do Rio de Janeiro, e onde o Vasco mandaria seus jogos a partir dali), e no Campeonato Carioca, os flamenguistas venceram duas vezes (3 x 0 e 2 x 1). Em 1928, três jogos e três vitórias do Vasco, uma em amistoso (3 x 2) e duas pelo Carioca (3 x 0 e 2 x 1). No primeiro confronto de 1929, um amistoso na Rua Paissandu, os cruzmaltinos obtiveram a quarta vitória consecutiva, e por goleada: 4 x 1. Já no Carioca, três confrontos, com uma vitória rubro-negra por 2 x 1 dentro de São Januário, e duas vitórias vascaínas (3 x 2 e 1 x 0).

No total do duelo nos Anos 1920, foram 18 jogos e supremacia da cruz de malta, que venceu a metade deles: 9 vitórias do Vasco, 3 empates e 6 vitórias do Flamengo.


Em 1930, os dois confrontos válidos pelo Campeonato Carioca terminaram em vitória vascaína: 2 x 0 e 2 x 1. No Carioca de 31, as duas vitórias cruzmaltinas se repetiram, mas desta vez com uma delas sendo acachapante. No returno, na Rua Paissandu, foi 2 x 1, mas no turno, em São Januário, foi um dia que os rubro-negros gostariam de ter apagado de sua história. No 1º tempo, Russinho marcou aos 5 minutos, Mário Mattos ampliou aos 27, Russinho voltou a balançar a rede aos 30 e Mário Mattos também fez seu segundo aos 34. No intervalo: Vasco 4 x 0. No 2º tempo, Santana balançou a rede logo aos 4 minutos, e Russinho marcou mais dois, aos 14 e aos 20. Faltando vinte e cinco minutos para o fim do jogo, e os vascaínos já venciam por 7 x 0! Russinho, herói da tarde, marcou quatro gols. Uma goleada humilhante.

Jogo Histórico
26.04.1931 - Vasco 7 x 0 Flamengo

No Carioca de 1932, foi o Flamengo quem venceu duas vezes (2 x 1 como mandante e 1 x 0 como visitante). Em 1933, uma vitória para cada lado: Fla 2 x 1 e Vasco 2 x 0. Em 1934, dois jogos pelo Campeonato Carioca, com uma goleada cruzmaltina por 5 x 2 em São Januário e uma vitória rubro-negra por 3 x 2 nas Laranjeiras, e dois jogos pelo Torneio Extra, com uma goleada rubro-negra por 4 x 1 nas Laranjeiras, e uma vitória flamenguista por WO.

Os dois clubes, por divergências políticas, não se enfrentaram nenhuma vez nem em 1935 nem em 1936. Voltaram a se encontrar em 1937, primeiro em dois amistosos, num empate em 2 x 2, e numa vitória vascaína por 3 x 2, e depois num empate em 3 x 3 no Carioca.

Em 1938, oito jogos entre os rivais. O primeiro válido ainda pelo Carioca de 1937, terminou numa acachapante goleada rubro-negra por 5 x 1 nas Laranjeiras, com gols rubro-negros marcados por Leônidas da Silva duas vezes, pelo alemão Engel, por Carlinhos e por Valdemar. Depois, um amistoso no campo da Rua Campos Sales terminou em nova goleada rubro-negra, desta vez por 5 x 2, com os gols do Flamengo marcados por Carlinhos duas vezes, pelo alemão Engel, e por Leônidas da Silva e Jarbas. Na sequência do calendário, dois jogos pelo Torneio Municipal, com uma vitória do Vasco por 5 x 3 nas Laranjeiras, e uma do Flamengo por 3 x 1 dentro de São Januário. Pelo Campeonato Carioca, duas vitórias do Vasco: 2 x 0 no Estádio da Gávea, e 2 x 1 em São Januário. Pelo Torneio Extra, dois empates por 1 x 1.

Jogo Histórico
19.01.1938 - Flamengo 5 x 1 Vasco

Em 1939, um amistoso em São Januário foi a partida mais cheia de gols na história do clássico, com o Flamengo vencendo por 6 x 4. No Campeonato Carioca, foram três duelos. O Vasco venceu o primeiro por 2 x 0 na Gávea, no segundo o Flamengo deu o troco e venceu por 3 x 0 em São Januário. No terceiro encontro naquele campeonato, uma histórica goleada rubro-negra por 4 x 0 sobre o Vasco, com três gols argentinos, dois feitos por Alfredo González e um por Agustin Valido, com Leônidas da Silva completando a vitória, a qual garantiu matematicamente o título e acabou com um jejum rubro-negro de 11 anos sem ser Campeão do Campeonato Carioca.

Nos Anos 1930, o duelo foi extremamente equilibrado, mas com uma ligeira vantagem flamenguista. Foram jogadas 27 partidas entre os dois rivais entre 1930 e 1939, com 12 vitórias do Flamengo, 4 empates, e 11 vitórias do Vasco.


Nos Anos 1940, embora o Flamengo tenha levado vantagem no confronto direto nos primeiros anos do decênio, foi um período de supremacia do Vasco, principalmente por causa do time que ficou conhecido como "Expresso da Vitória", na segunda metade desta década.

Em 1940, pelo Campeonato Carioca, o Vasco venceu por 3 x 2 nas Laranjeiras, o Flamengo venceu por 3 x 0 na Gávea, e houve um empate por 1 x 1 em São Januário. Em 1941, foram cinco duelos: primeiro uma vitória de 3 x 1 para cada lado, depois duas vitórias rubro-negras (2 x 1 e 1 x 0), seguidas por um empate por 1 x 1. Em 1942, um novo por empate, e duas vitórias rubro-negras por 1 x 0 e por 2 x 1. Em 1943, mais quatro jogos sem que o Flamengo perdesse para o rival: um empate por 1 x 1 no Torneio Relâmpago, uma vitória por 2 x 0 no Torneio Municipal, e no Carioca um empate por 1 x 1 e uma goleada rubro-negra. Entre 1941 e 1943, o Flamengo ficou 11 jogos sem perder para o Vasco (7 vitórias e 4 empates), nos quais marcou 21 gols (10 dos quais marcados por Pirilo) e sofreu apenas 9 gols.

O Flamengo esteve arrasador na reta final do Carioca de 1943. Antes da penúltima rodada, estava um ponto atrás do Fluminense. Na rodada anterior havia vencido o Bonsucesso por 5 x 1, e na penúltima rodada encararia ao Vasco, no Estádio de General Severiano, campo do Botafogo, enquanto o Fluminense jogaria contra o São Cristóvão, no Estádio da Rua Figueira de Melo, campo do "São Cri-Cri". O Flu perdeu por 3 x 1. Já o Flamengo, aproveitou a oportunidade e aplicou implacáveis 6 x 2 no Vasco, com um show de sua linha de frente: Zizinho, Perácio, Pirilo e Vevé. Na goleada sobre o Vasco, Perácio e Pirilo marcaram duas vezes cada um, com Zizinho e Vevé completando o marcador. Na última rodada, o Fla fez 5 x 0 no Bangu, na Gávea, e consolidou o título de Bi-Campeão Carioca.

Jogo Histórico
03.10.1943 - Flamengo 6 x 2 Vasco

O Vasco interrompeu a sequência de vitórias rubro-negras com estilo, vencendo pelo Torneio Relâmpago de 1944 por 5 x 2 em General Severiano. Pelo Torneio Municipal de 44, um empate por 2 x 2. No Campeonato Carioca, o Vasco venceu no turno (2 x 1), mas foi o jogo do returno que entrou para a história da rivalidade deste clássico. Neste jogo, com o Gol de Valido, o Flamengo se sagrou Tri-Campeão Carioca (1942/43/44). O gol do atacante argentino Agustín Valido sacramentou a vitória por 1 a 0. O gol, a pouco mais de 10 minutos do fim do jogo, gerou muita polêmica. Até sessão de cinema a torcida do Vasco organizou durante a semana para tentar provar que Valido se apoiou nos ombros do zagueiro para cabecear no lance do gol.  Pela primeira vez na história, um jogador estrangeiro dava um tricampeonato ao Flamengo sobre o Vasco com um gol no fim. Não seria a última vez. Mais há muita história a ser contada antes desta outra.

Jogo Histórico
29.10.1944 - Flamengo 1 x 0 Vasco

No Torneio Relâmpago de 45, o Flamengo venceria por 4 x 3, mas daquele jogo em diante, iniciou-se um período de ampla hegemonia cruzmaltina. De maio de 1945 a maio de 1951, o Vasco ficou 20 jogos sem sofrer derrotas para o Flamengo, com 15 vitórias e 5 empates, 55 gols marcados e 28 sofridos. Já largou esta sequência com uma imponente goleada: 5 x 1 nas Laranjeiras pelo Torneio Municipal, com dois gols de João Pinto, um de Ademir Menezes, e com Santo Cristo e Berascochea fechando o placar.

Jogo Histórico
13.05.1945 - Vasco 5 x 1 Flamengo

No Carioca de 45, uma vitória por 2 x 1, gols vascaínos de Berascochea e Biguá contra, e um empate por 2 x 2 (dois gols vascaínos de Isaías). Em 1946, o Vasco venceu por 2 x 0 no Torneio Relâmpago (gols cruzmaltinos de Elgen e João Pinto) e por 3 x 1 no Torneio Municipal (gols de Santo Cristo, Isaías e João Pinto). No Carioca de 46, um empate por 2 x 2 (gols vascaínos de Dimas e Lelé) e uma vitória vascaína por 4 x 3 (os quatro gols foram de Jair Rosa Pinto, Isaías, Santo Cristo e Djalma). Em 1947, um empate por 2 x 2 no Torneio Municipal (gols do Vasco de Maneca e Chico), e uma vitória vascaína por 2 x 1 num amistoso na Gávea. Pelo Carioca de 47, vitória por 2 x 1 em São Januário (gols de Dimas e Maneca), e goleada por 5 x 2 dentro da Gávea (dois gols para Friaça e para Maneca, e um para Lelé). Em 1948, três jogos e três vitórias da cruz de malta: 2 x 1 no Torneio Municipal, e 3 x 1 e 3 x 2 no Campeonato Carioca. No Carioca de 1949 mais duas vitórias vascaínas, com uma goleada por 5 x 2 em São Januário, e um apertado 2 x 1 na Gávea. Com estes resultados o Vasco emplacou uma série histórica de 8 vitórias consecutivas sobre o Flamengo entre julho de 1947 e o fim de 1949.

A série invicta ainda se estendeu um pouco mais, pois houve um empate por 1 x 1 no Torneio Rio-São Paulo de 1950, seguido por duas vitórias vascaínas no Carioca daquele ano, nos dois primeiros duelo disputados entre os rivais no Maracanã: 2 x 1 e uma goleada de 4 x 1, com os quatro gols vascaínos marcados por Ipojucan três vezes e Alfredo. Pelo Torneio Rio-São Paulo de 1951 ainda haveria um empate por 2 x 2.

Nos Anos 1940, em 36 jogos entre os rivais, foram 17 vitórias do Vasco, 9 empates e 10 vitórias do Flamengo.


O Flamengo interrompeu a série invicta vascaína com uma vitória por 2 x 1 no Torneio Municipal de 1951, seguida por duas vitórias no Carioca daquele mesmo ano: 2 x 1 e 2 x 0.

Em 1952, três jogos e três vitórias do Vasco: 1 x 0 no Torneio Rio-São Paulo, e 3 x 2 e 1 x 0 no Campeonato Carioca. Em 1953, uma quarta vitória seguida, e mais uma vez com um 5 x 2, no Maracanã, num jogo amistoso. No resto do ano, três empates: 1 x 1 no Torneio Rio-São Paulo e dois 3 x 3 no Carioca. Assim, o Vasco emplacou uma sequência de 7 jogos sem perder do rival.

O Flamengo interrompeu a sequência vascaína em grande estilo, com duas goleadas por 4 x 1 no início de 1954, a primeira, com dois gols do paraguaio Benítez, um de Esquerdinha e um de Rubens, ainda pela reta final do Carioca de 1953. Esta goleada por 4 a 1 sobre o Vasco sacramentou o título de 1953. Flamengo, Fluminense, Vasco, Botafogo, América e Bangu se classificaram para o 3º turno, no qual definiria-se o campeão. O Flamengo venceu as cinco partidas do terceiro turno e levou a taça, abrindo o caminho para seu segundo tri-campeonato.  Antes de enfrentar o Vasco, o Mengo tinha 6 pontos, e só o Flu, com 4, ainda poderia alcançá-lo, com a vitória sobre o Vasco, o Flamengo foi a 8 pontos e garantiu matematicamente o título. Na sequência, pelo Rio-São Paulo, um novo 4 x 1, desta vez com dois gols de Evaristo de Macedo, um de Paulinho e um de Zezinho. Não seria a única vez naquela década que o Flamengo aplicaria duas goleadas seguidas por 4 x 1 sobre o Vasco, o feito se repetiria três anos depois.

Antes disto, o Fla venceu duas vezes por 2 x 1 e empatou uma vez sem gols no Carioca de 1954. No Torneio Rio-São Paulo de 1955 os rubro-negros voltaram a comemorar uma vitória por 2 x 1 sobre os cruzmaltinos. Em 1955 ainda houve um empate por 3 x 3 num amistoso. Assim, foi o Flamengo desta vez quem emplacou uma série invicta de 7 jogos sem perder do rival.

No Carioca de 1955, o Vasco venceu duas vezes (3 x 0 e 2 x 1) e houve um empate por 1 x 1. No Carioca de 1956, um novo 1 x 1, e uma vitória flamenguista por 1 x 0. No Rio-São Paulo de 1957, foi a vez do Vasco vencer por 1 x 0.

Seguiram-se então duas goleadas seguidas do Flamengo por 4 x 1 no Campeonato Carioca de 1957. A primeira, com gols rubro-negros marcados por Dida três vezes e Henrique Frade, e a segunda, dois meses depois, com os gols do Flamengo marcados por Joel, Zagalo, Dida e Henrique Frade.

Em 1958, dois empates por 1 x 1, um pelo Rio-São Paulo e outro pelo turno do Carioca, uma vitória rubro-negra por 3 x 1 e uma cruzmaltina por 2 x 0. Em 1959, cinco empates seguidos: 1 x 1 ainda pelo Carioca de 58, 2 x 2 num amistoso, 0 x 0 pelo Rio-São Paulo, um novo 2 x 2 no turno do Carioca, e um 1 x 1 no returno.

Nos Anos 1950, o duelo foi bem equilibrado, com leve vantagem rubro-negra: em 38 jogos, foram 12 vitórias do Flamengo, 16 empates, e 10 vitórias do Vasco.


Os primeiros duelos dos Anos 1960 foram todos com vitória por margem mínima para um lado ou para outro. No Torneio Rio-São Paulo de 1960, o vermelho e preto ganhou por 1 x 0, já no Carioca daquele ano, duas vitórias da cruz de malta por 1 x 0, mesmo placar da vitória do Vasco, a terceira seguida sobre o rival pelo mesmo placar, no Octogonal Sul-Americano de Verão de 1961. Na sequência, três vitórias rubro-negras consecutivas em 1961: 2 x 1 no Rio-São Paulo, 1 x 0 e 3 x 0 no Carioca. No Campeonato Carioca ainda houve um terceiro encontro naquele ano, este vencido pelos vascaínos por 2 x 0.

Em 1962, dois empates por 1 x 1, um no RJ-SP outro no Carioca, campeonato no qual os rubro-negros venceram outra por 2 x 0. Em 1963, o Flamengo voltou a não perder para o Vasco: 3 x 1 no Rio-São Paulo, e no Carioca um empate sem gols e uma vitória por 4 x 3, num jogaço no Maracanã, em que o Vasco abriu dois gols de vantagem, com Célio aos 9 e Mário aos 16 minutos do 1º tempo, no 2º tempo, com 12 minutos Airton já havia feito dois gols e empatado para os rubro-negros; Mário, aos 15, colocou o Vasco de novo a frente, mas Osvaldo aos 24 e Airton, aos 30, em seu terceiro gol na tarde, proporcionaram uma grande virada. Uma vitória fundamental para o título rubro-negro. O Flamengo venceria Bangu, São Cristóvão e Olaria nas rodadas seguintes, o que lhe permitiu entrar em campo num Fla-Flu jogando pelo empate para ser o campeão. Jogo sem gols, e título rubro-negro, conquista iniciada no fantástico 4-3 sobre os vascaínos. Em 1964, três jogos e três vitórias flamenguistas: 3 x 1 no Rio-São Paulo, e duas vezes por 2 x 1 no Carioca. Com estes resultados, o time rubro-negro completou uma série de 9 jogos sem derrotas para os vascaínos (6 vitórias e 3 empates).

Jogo Histórico
15.11.1963 - Flamengo 4 x 3 Vasco

Os cruzmaltinos interromperam o jejum diante dos rubro-negros em grande estilo, com uma goleada por 4 x 1 num amistoso em 1965. Num segundo amistoso naquele ano, os dois clubes se enfrentariam pela primeira vez na história fora do Rio de Janeiro, em Goiânia, terminaram num empate sem gols. No Rio-São de 65, um novo empate sem gols e uma vitória cruzmaltina por 1 x 0. Na Taça Guanabara de 1965, um empate por 1 x 1 e uma vitória vascaína por 1 x 0. No Carioca de 65, duas vitórias rubro-negras (2 x 1 e 1 x 0). Em 1966, empate por 1 x 1 no Torneio Rio-São Paulo, vitória o Vasco por 2 x 1 num amistoso em Brasília, e vitória rubro-negra por 1 x 0 na Taça Guanabara; no Carioca, um empate sem gols e uma vitória rubro-negra por 2 x 0, e num amistoso em Vitória da Conquista, na Bahia, o Fla venceu por 2 x 1.

Em 1967, mais um ano de muitos confrontos. Em dois amistosos no início do ano, nos quais o húngaro Florian Albert vestiu a camisa rubro-negra, uma vitória por 2 x 0 para cada lado. Pelo Campeonato Brasileiro de 1967, um empate sem gols. Num amistoso em Brasília, os vascaínos venceram por 2 x 1. Na Taça Guanabara, mais um 4 x 3 eletrizante no Maracanã, desta vez a favor do Vasco: Ademar Pantera, aos 20, e Dionísio, aos 42, colocaram o Flamengo com dois gols de vantagem. Porém, incrivelmente, ainda antes do intervalo, os vascaínos empataram, com Luizinho aos 43 e Odair aos 45. No 2º tempo, com 10 minutos, Nei decretou a virada cruzmaltina. Mas Dionísio voltou a empatar o jogo aos 16. O gol da vitória saiu aos 33 minutos, em cobrança de pênalti convertida pelo zagueiro Brito. O Vasco se impôs, e, com moral, voltou a vencer duas vezes seguidas no Carioca daquele ano (goleadas por 4 x 0, gols de Álvaro, Danilo Menezes, Silva e Valfrido, e por 3 x 0, gols de Nei duas vezes e Danilo Menezes).

Jogo Histórico
24.07.1967 - Vasco 4 x 3 Flamengo

Em 1968, no Campeonato Carioca houve uma vitória rubro-negra por 2 x 1 e um empate por 2 x 2, na Taça Guanabara, nova vitória rubro-negra, desta vez por 1 x 0, e no Campeonato Brasileiro quem venceu foram os vascaínos, por 3 x 0. Em 1969, só deu Flamengo, em cinco confrontos, foram quatro vitórias rubro-negras e um empate: 3 x 0 e 1 x 1 no Carioca, 2 x 1 na Taça Guanabara, 2 x 0 num amistoso em Aracaju, Sergipe, e 3 x 1 no Campeonato Brasileiro.

Nos Anos 1960 a dominância foi rubro-negra: em 47 jogos, foram 22 vitórias do Flamengo, 11 empates, e 14 vitórias do Vasco, tirando a vantagem vascaína e passando a frente no confronto direto de até então. No acumulado até 1969, haviam sido 166 jogos, com 62 vitórias do Flamengo, 43 empates, e 61 vitórias do Vasco.


Nos Anos 1970, o Flamengo obteve a maior vantagem em confronto direto, com 11 vitórias a mais do que o rival entre 1970 e 1979 (entre 1940 e 1949 os vascaínos obtiveram 7 vitórias a mais que o rival, e entre 1960 e 1969 os rubro-negros obtiveram 8 vitórias a mais). Nos Anos 1970, em 56 jogos, houve 25 vitórias do Flamengo (quase a metade), 17 empates, e 14 vitórias do Vasco. E isto no nascimento da "Era Zico versus Roberto Dinamite", o apogeu da rivalidade entre flamenguistas e vascaínos.

Em 1970, o Flamengo venceu por 2 x 0 no Torneio Quadrangular de Verão - competição amistosa no Maracanã - e depois empatou sem gols e venceu por 2 x 0 na Taça Guanabara. Com isto, completou uma sequência de 8 jogos sem derrota para o rival (6 vitórias e 2 empates). No Carioca, o Vasco venceu duas vezes por 1 x 0. No Campeonato Brasileiro de 70, os rubro-negros voltaram a vencer, fazendo 3 x 1. Em 1971, um empate por 1 x 1 num amistoso, uma vitória para cada lado por 1 x 0 no Carioca, vitória rubro-negra por 2 x 1 na Taça Guanabara, e empate sem gols pelo Brasileirão. Em 1972, o Flamengo venceu duas vezes por 1 x 0, uma no Quadrangular de Verão e outra no turno do Carioca, depois houve um empate por 2 x 2, um empate sem gols, e uma vitória rubro-negra por 2 x 0. No Campeonato Brasileiro, uma vitória do Fla por 2 x 1 e um empate por 1 x 1. Em 1973, dois amistosos seguidos no Estádio de São Januário, com uma vitória por 1 x 0 para cada lado. Esta vitória cruzmaltina interrompeu um sequência invicta de 11 jogos do Flamengo diante do Vasco (7 vitórias e 4 empates). No Carioca de 73, uma vitória rubro-negra (1 x 0), uma vitória cruzmaltina (2 x 1), e um empate sem gols. Num amistoso no Estádio de Caio Martins, em Niterói: Fla 2 x 1. No Brasileiro de 73, um empate em 2 x 2 e uma vitória flamenguista por 2 x 0.

Em 1974, um empate por 1 x 1 no Brasileirão, duas vitórias do Flamengo no Carioca (1 x 0 e 3 x 1), e dois empates no mesmo torneio (1 x 1 e 0 x 0), o último deles na partida sem gols que sacramentou, no Triangular Final (junto ao América), o título estadual de 1974 para os flamenguistas. Entre 1970 e 1974, em 31 clássicos, o Vasco só venceu 5, com 16 vitórias rubro-negras e 10 empates. Na segunda metade da década de 70, no auge do confronto entre o Flamengo de Zico e o Vasco de Roberto Dinamite, a disputa foi mais acirrada, tendo havido entre 1975 e 1979 o mesmo número de vitórias para cada lado.

Em 1975, um amistoso em Arraia do Cabo foi 2 x 1 para o Vasco, pelo Carioca houve quatro jogos, com um empate (2 x 2), uma vitória rubro-negra (2 x 1) e duas vitórias cruzmaltinas (3 x 2 e 1 x 0), com o Vasco voltando a vencer no Campeonato Brasileiro (4 x 2). No Carioca de 1976, no primeiro duelo venceu o vermelho e o preto, por 3 x 1. Na decisão do 1º turno (Taça Guanabara), decisão por pênaltis no Maracanã, após um empate por 1 x 1: Zico desperdiçou a última cobrança e o Vasco venceu por 5 x 4. No returno, goleada rubro-negra no Maracanã - 4 x 1 - com gols rubro-negros marcados por Tadeu, Zico, Vanderlei Luxemburgo e Luisinho Lemos. O Flamengo ainda venceu uma terceira vez ao rival naquele campeonato (2 x 0). No Brasileiro, vitória vascaína por 1 x 0, e num amistoso no Maracanã, novo sucesso da cruz de malta, desta vez por 3 x 2. Em 1977, em dois amistosos no início da temporada, um 2 x 1 para cada lado. No Carioca de 1977, no primeiro encontro o Vasco venceu por 3 x 0, depois seguiram-se quatro empates em 0 x 0 seguidos na história do duelo, dois no Carioca de 77, um no Brasileiro daquele ano, e outro já no Carioca de 78. No segundo destes quatro empates sem gols, era a decisão do título carioca de 1977 no Maracanã, e a disputa foi para os pênaltis. Tita perdeu a última cobrança e o Vasco venceu por 5 x 4. Segundo Zico e Júnior, naquela noite surgiu um pacto entre os jogadores que levou aquela geração nos anos seguintes a ser a mais vitoriosa da história rubro-negra, ganhando todos os títulos imagináveis entre 1978 e 1983. Derrotados nas penalidades, todos os jogadores se reuniram no bar Barril 1800, em Ipanema, e entraram pela madrugada carioca numa reunião que virou lenda.

Jogo Histórico
27.06.1976 - Flamengo 4 x 1 Vasco

No Carioca de 1978, houve primeiro um já citado empate sem gols. Quase houve um segundo, que seria o quinto consecutivo na história do confronto, mas desta vez um gol de cabeça do zagueiro Rondinelli escreveria um capítulo especial na história do clássico. Era a decisão do Carioca de 78, pois o Flamengo havia conquistado a Taça Guanabara (1º turno) daquele ano, e na última rodada da Taça Rio (2º turno), Vasco e Flamengo se enfrentavam, com os vascaínos jogando pelo empate para conquistar o segundo turno e forçar uma final. Aos 45 minutos do 2º tempo, o zagueiro Rondinelli, de cabeça, escorando escanteio cobrado por Zico, fez o gol que deu a vitória ao Mengo, garantindo o título do returno e a conquista do Campeonato Carioca de 78, abrindo a série que levou ao terceiro tri-campeonato estadual da história rubro-negra.

Jogo Histórico
03.12.1978 - Flamengo 1 x 0 Vasco

Em 1979, houve duas edições de Campeonato Carioca no mesmo ano, por causa de uma briga política na federação do Rio. Na soma dos dois, cinco "Clássicos dos Milhões", com três vitórias rubro-negras (2 x 1, 4 x 2 e 3 x 2), um empate (1 x 1), e uma vitória cruzmaltina (4 x 2).


Em 1980, um amistoso no Estádio Vivaldão, em Manaus, c. Na Taça Guanabara e no primeiro jogo pelo Campeonato Carioca, dois empates sem gols. Na sequência, ainda pelo Carioca, um vitória do Flamengo por 2 x 0. Em 1981, um amistoso em Governador Valadares, Minas Gerais, terminou 1 x 0 para o Vasco. No Campeonato Carioca, uma vitória flamenguista por 1 x 0 e um empate por 1 x 1. Depois o Vasco ganhou duas vezes seguidas, 2 x 0 e 1 x 0, mas no jogo que definiu o título estadual daquele ano, quem ganhou foi o Flamengo, campeão carioca com um 2 x 0, gols de Adílio e Nunes. O Vasco se vingaria no ano seguinte. No primeiro encontro pelo Carioca de 82, um empate sem gols. Na final da Taça Guanabara, o Flamengo ganhou por 1 x 0, gol de Adílio e sacramentou a façanha de ser Penta-Campeão da Taça Guanabara em 1978-1979-1980-1981-1982. Depois os vascaínos venceram o clássico duas vezes seguidas, primeiro por 3 x 1, e depois, no jogo que lhe valeu o título estadual, por 1 x 0, com um gol do ponta-esquerda Marquinho (que depois que foi jogar no Atlético Mineiro passou a ser Marquinho Carioca).

Em 1983, os rivais se enfrentaram pelas quartas de final do Campeonato Brasileiro. O Flamengo eliminou o rival após vencer a primeira partida por 2 x 1 e arrancar um empate no segundo jogo por 1 x 1, graças a um gol de Zico aos 44 minutos do 2º tempo. No Carioca de 83, uma vitória para cada lado: Vasco 1 x 0 e Fla 3 x 0. No Campeonato Carioca de 1984, uma vitória por 1 x 0 para cada lado e um empate por 1 x 1. No Carioca de 85, o Vasco aplicou uma goleada histórica no 1º turno, vencendo por 4 x 0, com gols de Newmar, Roberto Dinamite, Romário e Silvinho. No returno, foi o Flamengo quem venceu (2 x 0). Em 1986, um amistoso no Castelão, em Manaus, terminou 2 x 1 para o Vasco. No Carioca de 86, uma vitória cruzmaltina por 2 x 0 e uma rubro-negra por 3 x 2. Depois dois empates seguidos sem gols, e na partida que valeu o título estadual para o Flamengo, uma vitória por 2 x 0 com gols de Bebeto e Júlio César Barbosa.

Jogo Histórico
10.10.1985 - Vasco 4 x 0 Flamengo

Em 1987, três empates seguidos sem gols pelo Campeonato Carioca, e no jogo que valeu o título estadual daquele ano, quem venceu foi o Vasco, por 1 x 0, gol do ex-rubro-negro Tita. Pelo Campeonato Brasileiro de 87, vitória rubro-negra por 2 x 1. No Carioca de 1988, o Fla venceu o primeiro encontro (1 x 0), mas depois viu o adversário emplacar 5 vitórias consecutivas: no 2º turno, com 1 x 0, gol de Henrique, no 3º turno por 2 x 1, com dois gols de Sorato e um de Vivinho, e Andrade descontando, na Final do Carioca, com vitórias por 2 x 1 de virada, gols de Bebeto para o Flamengo e Bismarck e Romário para para o Vasco, e por 1 x 0 no jogo derradeiro, gol de Cocada aos 45 minutos do 2º tempo; seguida por uma vitória por 1 x 0 já pelo Brasileiro de 88, gol de Sorato. O Flamengo interrompeu a série vencendo por 3 x 1 no 1º turno do Carioca daquele ano. No outro jogo pelo Carioca de 89, vitória cruzmaltina por Vasco 2 x 1.

Jogo Histórico
22.06.1988 - Vasco 1 x 0 Flamengo

Um jogo inesquecível aconteceu no Campeonato Brasileiro de 1989. O Vasco havia montado um super-time, a principal contratação foi, inclusive, passando a perna no Flamengo e fechando com o ídolo da torcida rubro-negra, Bebeto. O super-time vascaíno era líder invicto do Brasileirão, do qual acabou campeão naquele ano. Enfrentou um Flamengo em crise, debilitado, e que sem opções para seu comando de ataque lançou o camisa 9 do time sub-20 como titular neste jogo, um garoto de apelido engraçado, o que rendeu muitas piadas da torcida cruzmaltina, já certa da vitória. Eis que o Flamengo vence por 2 x 0 no Maracanã, com dois gols do menino Bujica, e acaba com a invencibilidade do super-time do rival.

Os Anos 1980 foram o apogeu da rivalidade entre o Vasco e o Flamengo, marcando exatamente a época de aposentadoria dos dois grandes nomes, ambos camisas 10, que levaram o clássico das duas maiores torcidas do Rio de Janeiro a uma outra dimensão, a "Era Zico versus Roberto Dinamite". Rivalidade máxima e acirrada, e uma pequena vantagem vascaína neste decênio, pois entre 1980 e 1989, em 43 jogos, foram 18 vitórias do Vasco, 11 empates e 14 vitórias do Flamengo. O time cruzmaltino da metade final desta década - com o tripé Geovani, Roberto Dinamite e Romário - fez a diferença a favor da turma de São Januário.


Nos Anos 1990 a rivalidade manteve-se aquecida, com o apogeu vivido nos Anos 1980 ainda vivos na memória. Neste decênio, entre 1990 e 1999, quem teve uma levíssima vantagem no confronto direto foram os rubro-negros, em 44 jogos, ocorreram 16 vitórias do Flamengo, 13 empates, e 15 vitórias do Vasco.

Em 1990, pelo Carioca houve um empate por 1 x 1 e uma vitória vascaína por 2 x 1, e pelo Brasileiro uma vitória rubro-negra por 1 x 0. Esta abriu uma série de 5 vitórias consecutivas do Flamengo sobre o rival, com um 3 x 0 no Campeonato Brasileiro de 1991, um 2 x 0 pela Taça Estado do Rio de Janeiro, e duas vitórias no Campeonato Carioca, por 2 x 1 e por 2 x 0.

No Brasileiro de 1992, na primeira fase o Vasco venceu por 4 x 2 no Maracanã, depois os clubes voltaram a se enfrentar num Quadrangular Semi-Final. Dois jogos, com um empate por 1 x 1 e uma vitória rubro-negra por 2 x 0, conseguindo o Flamengo avançar para fazer a final do campeonato diante do Botafogo. No Carioca de 1992, com dois jogos em São Januário, já que o Maracanã precisou ser interditado para obras, houve dois empates por 1 x 1. Em 1993, o Vasco venceu duas vezes pelo Carioca (2 x 1 e 1 x 0). Depois houve três confrontos pel a Taça Estado do Rio de Janeiro disputados no Estádio de Moça Bonita, em Bangu, duas vitórias cruzmaltinas (2 x 0 e 1 x 0) e uma rubro-negra (1 x 0).

No Carioca de 1994, três duelos, com uma vitória para cada lado (Vasco 3 x 1 e Fla 2 x 1) e um empate (1 x 1). Depois um amistoso no Estádio Castelão, em São Luís, no Maranhão, teve vitória rubro-negra por 1 x 0. No Brasileirão de 94, empate por 1 x 1. No Carioca de 1995, o Flamengo venceu duas vezes, por 1 x 0 e por 4 x 2. No Brasileiro daquele ano, empate por 1 x 1. Em 1996, pela Taça Cidade Maravilhosa um empate sem gols, e pelo Carioca uma vitória rubro-negra por 2 x 0 e um empate sem gols, jogo que assegurou o título de campeão carioca daquele ano para o Flamengo. Nesta sequência, o rubro-negro conseguiu uma série de 10 jogos sem perder para o rival (5 vitórias e 5 empates).

No restante do ano de 96, duas vitórias vascaínas, por 3 x 2 num amistoso em Manaus, e uma goleada por 4 x 1 no Campeonato Brasileiro, com três gols de Edmundo e um de Macedo para a camisa da cruz de malta.

Jogo Histórico
06.10.1996 - Vasco 4 x 1 Flamengo

No Carioca de 97, duas vitórias rubro-negras, por 3 x 1 e 2 x 1. Uma briga política levou a uma vitória por WO do Vasco no terceiro encontro por aquele campeonato, com o Flamengo não comparecendo para disputar o jogo. A cena se repetiria no Carioca do ano seguinte. Em 1998, houve um empate sem gols, e um novo WO a favor do Vasco. Antes, porém, no Brasileiro de 1997, uma vitória cruzmaltina por 1 x 0 na 1ª fase, e os dois clubes voltaram a se enfrentar por um Quadrangular Semi-Final, assim como ocorrera em 1992. Desta vez quem garantiu a vaga na final, contra o Palmeiras, e acabou campeão nacional foi o Vasco, e em grande estilo: primeiro obtendo um empate por 1 x 1, e depois uma nova goleada por 4 x 1, mais uma vez com três gols de Edmundo (desta vez Maricá fez o outro gol cruzmaltino).

Jogo Histórico
03.12.1997 - Vasco 4 x 1 Flamengo

No Brasileiro de 1998, houve um empate por 1 x 1. No Campeonato Carioca de 1999, na partida que definiu o campeão do 1º turno (Taça Guanabara), a vitória foi rubro-negra, por 2 x 1, gols rubro-negros de Athirson e Romário. No jogo que definiu o campeão do 2º turno (Taça Rio), a vitória foi vascaína, por 2 x 0, com dois gols de Edmundo. Na final do campeonato, o Vasco tinha um time bem mais estrelado do que o humilde elenco rubro-negro, e entrou como favoritíssimo. O primeiro jogo da final terminou 1 x 1. No segungo jogo, o Gol de Rodrigo Mendes, de falta, aos 31 minutos do 2º tempo, sacramentou o título rubro-negro, o primeiro da série que levou ao Quarto Tri-campeonato Carioca da história flamenguista. No último jogo dos Anos 1990, pelo Brasileiro de 99, vitória vascaína por 1 x 0.

Jogo Histórico
19.06.1999 - Flamengo 1 x 0 Vasco



No Carioca de 2000, o filme se repetiu: o Vasco tinha um time bem mais estrelado do que o humilde elenco rubro-negro. E na final do 1º turno, esta força se fez presente. No fim de 1999, o Flamengo dispensou Romário, que voltou a encontrar abrigo em São Januário. No primeiro encontro diante do time rubro-negro, o centroavante se vingou. Era Domingo de Páscoa, e o time rubro-negro pulou a frente logo no início do jogo, com gol de Leandro Machado aos 6 minutos. Porém, Felipe não tardou a empatar, aos 14 minutos, e Romário fez o gol da virada aos 25. No 2º tempo, Romário marcou aos 5 e ao 11, já dando cara de goleada. Mas quem fechou o chocolate pascoal foi o meia Pedrinho, que aos 23 minutos marcou o quinto. Tarde inspirada de Romário, autor de três gols, e goleada histórica no Maracanã.

Jogo Histórico
23.04.2000 - Vasco 5 x 1 Flamengo

No 2º turno do Carioca de 2000, um empate por 3 x 3. Os dois rivais se postularam para fazer a final do Estadual. No 1º jogo, com gols de Athirson, Fábio Baiano e Beto, uma surpreendente vitória rubro-negra por 3 x 0, deixando os flamenguista muito perto do título carioca. No 2º jogo, com gols de Reinaldo e Tuta, os rubro-negros venceram por 2 x 1 e foram Bi-campeões. No Brasileiro de 2000, o time do Flamengo vingou a goleada de meses antes, vencendo por 4 x 0 no Maracanã, com dois gols do sérvio Dejan Petkovic, com Adriano e Edilson fechando o placar.

Jogo Histórico
27.10.2000 - Flamengo 4 x 0 Vasco

No Carioca de 2001, o Fla venceu por 1 x 0 no turno e houve um empate sem gols no returno. O Flamengo conseguiu assim uma série de 6 jogos sem ser derrotado pelo rival (4 vitórias e 2 empates). Mais uma vez os dois rivais se postularam para, pelo terceiro ano consecutivo, fazer a final do Campeonato Carioca. No 1º jogo, vitória do Vasco por 2 x 1, e o clube cruzmaltino, pela melhor campanha, tinha a vantagem de dois resultados iguais. No 2º jogo, Edilson marcou duas vezes e o Flamengo ficou com um 2 x 1 a seu favor, que ainda não lhe garantia o título. Era necessário um gol a mais. E o momento mágico aconteceu aos 43 minutos do 2º tempo, quando Petkovic cobrou uma falta com maestria, no ângulo do goleiro Hélton. Flamengo Tri-campeão Carioca, imponto um tri-vice-campeonato aos cruzmaltinos.

Jogo Histórico
27.05.2001 - Flamengo 3 x 1 Vasco

O Vasco vingou a derrota do Gol de Petkovic com mais uma goleada implacável no Campeonato Brasileiro de 2001, e mais uma vez com três gols de Romário. Naquela tarde, o lateral-esquerdo Gilberto abriu o placar para os cruzmaltinos aos 30 minuto do 1° tempo. Romário ampliou nos acréscimos. No 2º tempo, Romário marcou aos 12 e aos 30 minutos, e Euller fez o quinto aos 45 minutos. Ainda houve tempo para o lateral-direito Bruno Carvalho descontar aos 47 minutos do 2º tempo, o que não foi suficiente para minimizar o enorme fiasco rubro-negro.

Jogo Histórico
06.10.2001 - Vasco 5 x 1 Flamengo

Em 2002, três duelos e nenhuma vitória rubro-negra. Pelo Torneio Rio-São Paulo, vitória da druz de malta por 3 x 1. Pelo Carioca, um empate sem gols. Pelo Brasileiro, vitória cruzmaltina por 2 x 1. Em 2003, mais três confrontos, e desta vez quem não venceu foram os vascaínos. Pelo Carioca, um empate por 1 x 1. Pelo Campeonato Brasileiro, o primeiro em formato de pontos corridos, duas vitórias rubro-negras por 2 x 1.

Em 2004, houve uma vitória para cada lado no turno e no returno do Carioca (Fla 2 x 0 e Vasco 2 x 1). Os dois rivais se postularam para fazer a final do Campeonato Carioca. Vitória rubro-negra no 1º jogo por 2 x 1. Vascaínos pressionados para evitar a quarta derrota consecutiva numa final diante dos flamenguistas. Vitória rubro-negra por 3 x 1, com três gols de Jean, garantindo o título estadual de 2004. Atordoado e intimidado, o time cruzmaltino desandou a fazer faltas violentas e acabou o jogo com quatro jogadores expulsos.

No Brasileiro de 2004, duas vitórias vascaínas por 1 x 0. No Carioca 2005, um empate por 2 x 2. No Brasileiro 2005, uma vitória para cada lado: Fla 1 x 0 e Vasco 2 x 1. No Carioca 2006, nova vitória cruzmaltina por 2 x 1. E no Brasileiro 2006 o Vasco venceu duas vezes (1 x 0 e 3 x 1). O momento vascaíno era melhor quando os dois clubes chegaram para fazer a final da Copa do Brasil de 2006. Primeira vez na história que dois clubes de um mesmo estado faziam a final da Copa do Brasil. O Flamengo havia vencido as quatro últimas finais disputadas entre os dois, nos Campeonatos Cariocas de 1999, 2000, 2001 e 2004. Os rubro-negros venceram o 1º jogo por 2 x 0, gols de Obina e Luizão, ficando muito próximos do título. No 2º jogo, mais uma vitória flamenguista, desta vez por 1 x 0, gol do lateral-esquerdo Juan. Flamengo campeão! Vascaínos atordoados com os cânticos rubro-negros de "vice de novo".

Jogo Histórico
26.07.2006 - Flamengo 1 x 0 Vasco

Em 2007, no Carioca houve um empate por 1 x 1 e uma vitória cruzmaltina por 3 x 0, e no Brasileiros houve um empate por 1 x 1 e uma vitória rubro-negra por 2 x 1. Em 2008, no Carioca houve uma nova vitória rubro-negra por 2 x 1 e um empate por 2 x 2, e no Brasileirão o Flamengo venceu duas vezes (3 x 1 e 1 x 0). Os flamenguistas conseguiam assim uma série de 6 jogos sem perder para o rival (4 vitórias e 2 empates). No Carioca 2009, o Vasco interrompeu a série, vencendo por 2 x 0. No Brasileiro, os rivais não se enfrentaram, porque o Vasco disputou a Série B.

Nos Anos 2000, foram 39 jogos, com 17 vitórias do Flamengo, 8 empates, e 14 vitórias do Vasco.


Em 2010, em quatro clássicos, os rubro-negros não perderam para o rival: no Carioca venceram duas vezes (1 x 0 e 2 x 1) e no Brasileirão houve dois empates (0 x 0 e 1 x 1). Em 2011, mais quatro encontros sem que os flamenguistas fossem derrotados: no Carioca uma vitória (2 x 1) e um empate sem gols, e no Brasileiro houve dois empates (0 x 0 e 1 x 1). Assim, o Flamengo conseguiu uma séria de 8 jogos sem ser derrotado pelo rival (3 vitórias e 5 empates).

Rm 2012, três duelos pelo Carioca, com duas vitórias vascaínas (2 x 1 e 3 x 2) e uma vitória rubro-negra (2 x 1). No Brasileiro daquele ano, o Fla venceu por 1 x 0 e houve um empate (1 x 1). Em 2013, um único encontro no Carioca, vencido pelos rubro-negros por 4 x 2. No Brasileiro, o Flamengo venceu uma (1 x 0) e houve um empate (1 x 1). No Campeonato Carioca de 2014, o Fla venceu por 2 x 1 antes dos dois rivais voltarem a se enfrentar numa final de Carioca. Os Vascos ainda carregavam o jejum de não vencer aos rubro-negros em finais (perderam em 1999, 2000, 2001, 2004 e 2006), queriam exorcizar este trauma. Com a melhor campanha, os rubro-negros jogavam por dois resultados iguais para serem campeões. No 1º jogo, empate por 1 x 1. No 2º jogo, o Vasco vencia por 1 x 0 até os 45 minutos do 2º tempo. Gol de Márcio Araújo, que o replay provou depois ter se aproveitado de posição de impedimento, não vista pelo trio de arbitragem. Aos 46 minutos, o Flamengo conseguiu o empate por 1 x 1 que deu o título de campeão carioca de 2014. Como no Gol do Valido, do Primeiro Tri-Carioca, em 1944, a reclamação vascaína rendeu por muito tempo.

No Brasileiro de 2014, os clubes não se enfrentaram, porque o Vasco, pela segunda vez em sua história, disputava a Série B. Em 2015, os três primeiros compromissos do ano terminaram sem vitória vascaína: 1 x 0 para o Fla num amistoso, 2 x 1 no primeiro encontro pelo Carioca, e um empate sem gols no terceiro. Com isto, o Flamengo impôs uma sequência entre 2012 e 2015 de 11 jogos sem perder para o Vasco (6 vitórias e 5 empates). Os cruzmaltinos se vingaram com uma vitória por 1 x 0 na semi-final, que eliminou aos rubro-negros da competição. No Brasileiro de 2015, mais duas vitórias da cruz de malta (1 x 0 e 2 x 1). Os rivais ainda se enfrentaram pelas oitavas de final da Copa do Brasil: vitória vascaína por 1 x 0 no 1º jogo e empate por 1 x 1 no 2º, com o Vasco eliminando seu maior rival. Em 2016 mais três jogos sem que o Vasco soubesse o que era perder para o Fla: no Carioca houve vitórias por 1 x 0 e 2 x 0 e um empate por 1 x 1. No Brasileirão, os rivais mais uma vez não se enfrentaram, pois o Vasco pela terceira vez em sua história foi rebaixado e disputou a série B. Mas entre 2015 e 2016 o Vasco conseguiu uma série de 9 jogos sem derrotas para o Flamengo (6 vitórias e 3 empates).

Já em 2017, em cinco encontros entre os rivais, foi o Flamengo quem não perdeu. No Carioca, venceu por 1 x 0 e houve dois empates (2 x 2 e 0 x 0). No Brasileiro, uma vitória por 1 x 0 no Estádio de São Januário, e um empate sem gols.

Nos Anos 2010, a maior incidência foi de empates. Em 35 jogos, 12 vitórias do Flamengo, 15 empates, e 8 vitórias do Vasco.



Nenhum comentário:

Postar um comentário